No Sri Lanka, cristão livra 450 fiéis da morte

share on:

26/04/2019

Na Pascoa o Sri Lanka sofreu uma série de ataques terroristas, focados principalmente em igrejas cristãs, que mataram 359 pessoas e deixaram mais de 400 feridos. Esses números poderiam ser maiores se não fosse o ato heroico de Ramesh Raju, que trabalhava como empreiteiro e tinha dois filhos com Chrishanthini: Rukshika, de 14 anos e Niruban, de 12. Sua esposa é professora de escola dominical na igreja de Sião e no último domingo, como qualquer outro, ela foi ensinar sua classe.

Ela e Ramesh levavam os filhos para o culto toda semana, e ele se juntava a eles para orar. Depois que as aulas terminaram, Chrishantini e algumas das crianças saíram para comer lanches antes do início da cerimônia de Páscoa. Ramesh estava no pátio da igreja  quando viu um homem que não reconheceu carregando uma mochila grande. Questionado por Ramesh, o homem disse a ele que nela estava uma câmera de vídeo com a qual ele iria filmar os fiéis no culto. Chrishantini, relatou que Ramesh notou que tinha algo errado e informou que ele precisava obter permissão para filmar e o forçou a sair. Quando se dirigia para a igreja, que estava lotada com cerca de 450 pessoas, ela ouviu um estrondo alto. Ela conta que houve pânico em toda congregação, multidões corriam em qualquer direção, enquanto alguns dos edifícios pegavam fogo. Chrishanthini e sua família escaparam e correram para os hospitais próximos para encontrar Ramesh. Mas, horas depois, eles encontraram seu corpo. Ramesh morreu instantaneamente ao impedir que o homem-bomba entrasse na igreja. Um grande cartaz pendurado do lado de fora da casa de Chrishanthini Ramesh, na cidade de Batticaloa, na costa leste do Sri Lanka, mostra a fotografia de seu marido Ramesh Raju, que aos 40 anos perdeu a vida ao impedir que um terrorista atacasse a igreja Sião, onde congregavam.

Fonte: Sites Guiame e BBC

Produção e apresentação:Daniel Beltrão
Coordenação:Kaká Rodrigues
Supervisão: André Castilho
Realização:Rádio Trans Mundial