Mulheres copiam trechos da Bíblia à mão para distribuir entre cristãos secretos da Coreia do Norte

share on:

13/12/2018

Apesar de ser nominada como República Popular Democrática, a Coreia do Norte é governada por um regime comunista e ditatorial. Faz 16 anos que o país lidera a lista, elaborada pela missão Portas Abertas, dos 50 países que mais perseguem o cristianismo. A liberdade de pensamento, religião, expressão e informação são sistematicamente violadas pelo governo do ditador Kim Jong-un. A maioria da população é ateísta ou sem religião, mas 300 mil pessoas, dentre os quase 25 milhões de habitantes são cristãos.

Expressar a fé cristã publicamente, se reunir para realização de um culto ou portar uma Bíblia são atos que podem levar o cidadão norte coreano a prisão e realização de trabalhos forçados. A Igreja na Coreia do Norte é tão secreta que o cristão não revela sua fé nem para familiares.

Mas mesmo de forma secreta e lenta a Igreja continua crescendo no país. Essa história ilustra bem a realidade do cristianismo na Coreia do Norte.

Um cristão viajou para a casa de uma outra família cristã, e em sua pequena mala, por acidente, ele levou sua Bíblia. Sem saber ele viajou correndo o risco de morrer. Quando abriu a mala e encontrou a Bíblia, ficou completamente chocado. Como levar a Bíblia no caminho de volta para casa seria correr o mesmo risco pela segunda vez, ele decidiu deixá-la. A família que não tinha uma Bíblia aceitou o presente. De onde ele vinha seria possível obter outra cópia para seu uso. Um ano depois, ele enviou duas parentes para visitar a família e ver como estavam e se tiveram coragem de ficar com a Bíblia. As mulheres encontraram a Bíblia em muito bom estado, e não perderam tempo, copiaram muitas passagens à mão, e depois as distribuíram entre os cristãos secretos da região.

A Portas Abertas pede oração pelos cristãos perseguidos, para que continuem valorizando a Bíblia e tenham cada vez mais acesso a ela.

Fonte: Portas Abertas

 

 

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Kaká Rodrigues
Supervisão: André Castilho
Realização: Rádio Trans Mundial