share on:

O mês de abril ficou marcado para a Universidade de Garissa, no Quênia, como um dia de luto e pesar. Após a invasão do campus por soldados do Al Shabaab, que levou à morte 147 alunos cristãos, a instituição manteve suas portas fechadas por quase 1 ano e meio. Nesta semana, porém, funcionários receberam o primeiro grupo de estudantes após a tragédia que abalou país, amigos e a comunidade local. Desde os ataques, a universidade não funciona normalmente e várias igrejas mantêm seus cultos em locais cercados de grades e com detectores de metais em suas portas. Um dos colaboradores da Missão Portas Abertas pede oração para que Deus encha os alunos de cuidado e para que a paz se restabeleça em Garissa.