Governo de Ruanda já fechou mais de 8 mil igrejas somente em 2018

share on:

06/08/2018

As igrejas que não estão cumprindo os requisitos estabelecidos no início do ano pelo Conselho de Governança de Ruanda estão sendo fechadas. De acordo com a agência de notícias africana KT Press, pelo menos 8 mil congregações tiveram suas portas lacradas. Dentre os novos requisitos, estão exigências relacionadas a parte estrutural dos prédios das igrejas, que devem se adaptar para continuarem funcionando. Segundo analistas ruandeses, as diretrizes fazem parte de um esforço do governo para secularizar Ruanda.

A lista de requisitos reforça essa tese. As exigências estabelecidas pelo governo não têm alinhamento com a realidade do país. Eu vou citar alguns exemplos:

▪ Banheiros devem ser instalados a uma certa distância da entrada da igreja;
▪ As estradas de acesso da igreja, bem como seus compostos, precisam ser pavimentadas;
▪ As paredes internas e os tetos da igreja devem ser rebocados e pintados. Tijolos expostos não são mais permitidos;
▪ Todos os pastores precisam ter formação teológica de um instituto credenciado;

A nova lei está sendo aplicada mesmo que ainda não tenha sido aprovada oficialmente pelo governo de Ruanda. Na maioria dos casos, é quase impossível que as igrejas consigam fazer as mudanças dentro do prazo de 15 dias. Muitos casos de repressão por parte das autoridades têm revelado a real intenção com a nova lei. Uma das igrejas, que já tinha cumprido 80% dos requisitos, foi fechada durante a realização de um culto. Em outra denominação, os oficiais lacraram as portas enquanto acontecia um casamento. O casal e todos os convidados tiveram que parar a cerimônia e sair do prédio.

O direito dos ruandeses à liberdade religiosa é defendido pela Constituição de Ruanda mas, na prática, o governo tem sido conduzido pelo secularismo. As orações não são mais permitidas nas instituições governamentais, as palavras referentes à fé cristã foram removidas do preâmbulo da Constituição e líderes religiosos, especificamente padres e pastores, não fazem mais parte de celebrações oficiais. Depois que as novas exigências começaram a ser implementadas, oficiais prenderam seis pastores acusados de conspirar contra as ordens do governo. Os pastores foram libertados em seguida, mas um líder da igreja explicou que a prisão serviu como um aviso para que outros não resistissem ao movimento.

Ruanda é um país africano que tem aproximadamente 12 milhões de habitantes, dos quais 77% são cristãos entre católicos e protestantes.

Fonte: Guiame

 

 

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Kaká Rodrigues
Supervisão: André Castilho
Realização: Rádio Trans Mundial