Governo chinês impede celebrações natalinas

share on:

03/01/2018

Em várias partes da China, houve relatos de que estudantes e membros de partidos foram proibidos de celebrar o Natal. As autoridades da cidade de Hengyang, na província de Hunan, anunciaram a proibição de que membros do partido comunista celebrassem o Natal. No interior da Mongólia, uma escola também proibiu os alunos de comemorar a data. Na cidade de Shenyang, a proibição partiu de uma universidade. No centro de Chongqing, um grande grupo de policiais se posicionou nas ruas para evitar qualquer celebração natalina. No período das festas, artigos foram postados na internet e redes sociais, provavelmente pelas autoridades, promovendo a ideologia comunista.

Esse movimento parece estar de acordo com a decisão do presidente Xi Jinping, de promover agressivamente a ideologia comunista. A decisão foi tomada no 19º Congresso Nacional do Partido Comunista Chinês, realizado em novembro de 2017.

O Natal é uma festa cristã e o cristianismo é rejeitado na China por ser visto como uma infiltração estrangeira.

Alguns chineses disseram que as proibições não foram novidade, pois já haviam acontecido em anos anteriores. Mas ficavam restritas a cidades onde o governo era mais ligado à ideologia comunista. Em muitos lugares da China, o Natal era celebrado por cristãos e não-cristãos, pois era uma boa oportunidade de fazer negócios. Igrejas também aproveitavam para evangelizar e algumas até colocavam luzes em prédios. Por exemplo, na cidade de Shenzhen, no sul do país, houve luzes num prédio alto com os dizeres: “Jesus te ama. Lembre-se de ir à igreja”. A foto desse prédio assim decorado foi amplamente divulgada nas redes sociais, mas foi retirada alguns dias depois.

Para alguns chineses, a geração mais velha está mais adaptada à ideologia comunista e tende a concordar com as restrições. Mas, segundo eles, o pensamento comunista tem pouca influência sobre as novas gerações, que são mais afetadas pelo materialismo. Contudo, a massificação da ideologia comunista é um obstáculo para a evangelização dos jovens.

Fonte: Portas Abertas

 

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Renata Theodoro
Supervisão: André Castilho
Realização: Rádio Trans Mundial