Evo Morales suspende criminalização das igrejas

share on:

22/01/2018

No dia 10 de janeiro o Missão Notícia trouxe a informação que o governo boliviano estava tentando aprovar um Novo Código Penal que criminalizava a evangelização no país. Diante dessa arbitrariedade, que contrariava os direitos de expressão e religião vigentes na constituição da Bolívia, cristãos evangélicos e católicos se mobilizaram e realizaram campanhas de oração, protestos, marchas e conflitos com a polícia. A pressão deu resultado. Em uma entrevista para um canal de televisão estatal boliviano neste domingo, o presidente Evo Morales afirmou que decidiu revogar todo o Código Penal, que feriria direitos não só dos cristãos, mas de outras categorias como, por exemplo, a imprensa. Ele justificou dizendo que tomou a decisão para evitar que a direita use o Código para desestabilizar o Estado.

Morales enviará o pedido formal à Assembleia Legislativa para suspender completamente o Código de Sistema Penal e evitar que haja mais protestos. Ele afirmou ainda que ouviu “a preocupação das organizações sociais” e decidiu tomar a decisão, “para evitar a confusão e o medo baseado em mentiras nas redes sociais”. O anúncio de Evo foi feito na véspera do aniversário de 12 anos de seu mandato. Porém, ele deixou claro que seu desejo é “elaborar outra norma, com o consenso dos setores sociais”.

Nas últimas semanas, grande parte da sociedade boliviana vinha protestando contra as limitações das liberdades individuais, pois o governo de Morales impunha censura à imprensa e, na prática, criminalizava atividades da igreja. Nos primeiros dias após o Código ser anunciado, lideranças evangélicas e católicas fizeram muita pressão junto ao público. Noventa por cento da população da Bolívia é cristã.

Fonte: Gospel Prime, Gazeta do Povo e El Deber.

 

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Renata Theodoro
Supervisão: André Castilho
Realização: Rádio Trans Mundial