Estudante cristão é preso por blasfêmia na Indonésia

share on:

18/03/2019

A Indonésia é um país que tem 6 religiões reconhecidas pelo governo, pela ordem: Islamismo, Protestantismo, Catolicismo, Hinduísmo, Budismo e Confucionismo. No censo realizado em 2000 foi constatado que 88 porcento dos indonésios se declarou muçulmano e 9 porcento cristão entre protestantes e católicos. Isso faz com que o país, de quase 267 milhões de habitantes, tenha a maior população muçulmana do mundo. A constituição do país garante liberdade religiosa. Mas a prática parece ser outra.

Em 24 de outubro de 2018, um estudante cristão foi preso por insultar o islã em Sumatra Setentrional, uma província da Indonésia localizada na ilha de Sumatra, cuja capital é Medan. Agung Kurnia Ritonga, de 22 anos, foi condenado a um ano e meio de prisão. A informação é do site UCANews. O suposto caso de blasfêmia ocorreu quando o estudante viu uma foto em que três muçulmanos queimavam uma bandeira que continha símbolos islâmicos que pertencia a um grupo militante local. Ritonga, que estuda na Universidade de Sumatra Setentrional, em Medan, é acusado de postar um comentário em um site de mídia social insultando o profeta Maomé. Segundo os acusadores, o post dizia: “O seu deus também pode ser queimado? Seu deus está em silêncio, tocando violão, bebendo e escrevendo poesia pornográfica”.

O estudante foi preso após um grande grupo de muçulmanos ter rodeado sua casa em protesto. Semana passada, os acusadores disseram ao tribunal que as ações de Ritonga podem ter minado as relações inter-religiosas no país. Desde 1968, mais de 150 pessoas foram presas sob a lei de blasfêmia na Indonésia e pelo menos seis foram condenadas, somente em 2018. Um dos casos mais conhecidos de prisão por blasfêmia é o do ex-governador de Jacarta, Ahok, que foi libertado em janeiro, após cumprir pena de quase dois anos de prisão. O trabalho de Ahok foi reconhecido dentro e fora do país. Ele chegou a ser premiado em 2015 como o “Melhor Governador da Ásia”, pela revista Globe Asia. Essa repercussão atraiu muitos inimigos. A Indonésia deve ter eleições presidenciais em abril e seguidores do islã conservadores já estão convocando os indonésios a votar somente em candidatos muçulmanos. A missão Portas Abertas pede oração para que a Igreja tenha liberdade de expressar sua fé e que os cristãos tenham sabedoria para testemunhar o amor de Deus na maior nação muçulmana do mundo. A Indonésia ocupa a 30ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019.

Fonte: Site Portas Abertas

Produção e apresentação:Daniel Beltrão
Coordenação:Kaká Rodrigues
Supervisão: André Castilho
Realização:Rádio Trans Mundial