Cristãos sofrem perseguição policial no Uzbequistão

share on:

06/02/2019

Localizado na Ásia, o Uzbequistão tem mais de 32 milhões de habitantes, dos quais 349 mil são cristãos. O islamismo é a religião oficial do país. A perseguição ao cristianismo é uma prática recorrente no país. Mas a novidade é que policiais tem tentado forjar provas para prender cristãos, que ao denunciar acabam sendo punidos.

Dois ataques distintos da polícia foram direcionados a cristãos protestantes para puni-los por exercer liberdade de crença ou religião. Membros da igreja reclamaram da ilegalidade da polícia, e foram punidos por isso. Já nas cidades de Urgench e Namagan, cristãos reclamaram que polícia e fez buscas em suas casas sem mandado, e tentou obriga-los a assinarem declarações fabricadas. A polícia foi supostamente investigada e a conclusão foi que nenhuma prática errada foi cometida pelos agentes de segurança.

Na cidade de Urgench as declarações falsas eram contra o pastor Ahmadjon Nazarov e outros cristãos. Ao tomar conhecimento das ações, Daylatov, que é o promotor da cidade, não agiu contra o flagrante de ilegalidade da polícia, ao invés disso, culpou aqueles que fizeram os relatos.

Já na região de Namangan, cristãos locais também reclamaram sobre ações ilegais da polícia durante e depois de ataques que incluíram confisco de Bíblias. Como aconteceu em Urgench, a polícia tentou obrigar cristãos a assinar declarações falsas produzidas por ela. Outra suposta “investigação” foi feita, mas novamente a polícia não foi punida. Ao invés disso, um caso foi aberto contra um membro da igreja, Ravshan Yunusov, cuja casa foi invadida. Cristão locais, acreditam que a polícia está tentando calar Yunusov, porque ele tem denunciado as ações ilegais praticadas por ela.

Fonte: Portas Abertas

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Kaká Rodrigues
Supervisão:André Castilho
Realização:Rádio Trans Mundial