Cristão iraniano é liberado de prisão após fazer greve de fome

share on:

31/07/2017

Afshar-Naderi e outros três cristãos foram sentenciados a dez anos de prisão por “agir contra a segurança nacional”. Para cometer esse crime no Irã, basta declarar-se cristão. A religião oficial do país é o islamismo, principalmente na corrente xiita, tendo 99% de adesão da população. Naderi, que já foi a julgamento, recebeu uma sentença de cinco anos a mais por “insultar o sagrado”. Diante dessa situação ele fez dois protestos: escreveu uma carta às autoridades e fez greve de fome durante três semanas.

Os atos deram certo: ele foi libertado sob fiança. Para fazer frente ao compromisso financeiro, ele teve que assinar alguns documentos de “ações de propriedade” no valor de 80 mil dólares para garantir sua liberdade. Na prática, ele perderá a propriedade se não pagar o valor ao governo. Neste momento, somente Hadi Asgari permanece na prisão. Kaviyan-Mohammadi e Bet-Tamraz já tinham feito o pagamento de fiança e estavam livres. Os quatro cristãos foram presos na mesma ocasião, quando se dirigiam a uma igreja doméstica.

Na semana passada, outro cristão iraniano preso iniciou uma greve de fome para protestar contra o tratamento aos cristãos nas prisões do Irã. Ebrahim Firouzi foi condenado a cinco anos de prisão, também por “agir contra a segurança nacional”. Os casos mencionados não são isolados. Também há outros iranianos protestando contra os maus tratos a cristãos dentro das prisões. Um dos casos mais conhecidos é o da irmã Maryam Naghash Zargaran, cuja situação foi destacada pela Anistia Internacional no ano passado, quando criticou a negação de assistência médica nas detenções iranianas.

O Irã fica no oriente médio e tem uma população de mais de 80 milhões de pessoas.

Fonte: Portas Abertas.

Confira a Reportagem:

 

Produção e apresentação: Daniel Beltrão
Coordenação: Renata Theodoro
Supervisão: André Castilho
Realização: Rádio Trans Mundial