share on:

Rina é uma cristã cingalesa de 21 anos que enfrenta a perseguição religiosa desde menina. Seu pai é um líder cristão e, como toda família que decide seguir o cristianismo, eles suportam a discriminação e a violência moral em todo o tempo. Apesar de cristã, ela aprendia sobre budismo no colégio. Legalmente, as escolas em Sri Lanka podem incluir em seu projeto pedagógico as aulas de religião, mas a maioria dos cidadãos enxerga isso como uma despesa adicional e indesejada. Depois de um tempo, ela foi autorizada a estudar o cristianismo. Desde 2015, a Missão Portas Abertas está apoiando 35 professores voluntários cristãos lá. Esse ano, já são 50, e cada um deles consegue atender, pelo menos, 30 crianças. Dessa forma, elas não são mais obrigadas a aprender o budismo ou hinduísmo como se fossem a religiões oficiais do Estado.

FONTE: Site Junta de Missões Mundiais