Ataques em igrejas no Sri Lanka deixam 359 mortos

share on:

24/04/2019

A Páscoa em Sri Lanka foi marcada por um dos ataques mais mortais a cristãos da história. As apurações apontam que ao todo sete explosões feitas por homens bombas atingiram três igrejas, dois hotéis de luxo, uma pousada e uma casa onde a polícia tentava prender suspeitos pelos ataques. No momento das explosões as igrejas celebravam a ressurreição de Jesus Cristo no culto de Páscoa. Já os hotéis estavam servindo café da manhã especial em função da Páscoa. Até o momento já são 359 mortos e mais de 400 feridos.  

A polícia decretou toque de recolher e todas as redes sociais foram bloqueadas para evitar a circulação de notícias falsas. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelos ataques, mas 24 suspeitos de participação nos crimes estão presos. O governo culpa o grupo jihadista National Thoweed Jamath pelos bombardeios e acredita que ele recebeu ajuda de uma rede internacional.

Um colaborador da Portas Abertas tentou chegar às áreas dos desastres, mas foi impedido no meio do caminho por causa do toque de recolher imposto pelo governo. Ele está indo para Batticaloa, onde uma explosão atingiu a Igreja Sião. A Portas Abertas é uma organização cristã internacional que atua no apoio aos cristãos perseguidos por sua fé em Jesus. A Aliança Cristã Evangélica Nacional do Sri Lanka publicou uma declaração, na qual pede que o governo e as forças de segurança tomem todos os passos necessários para resolver a situação rapidamente e fazer justiça aos terroristas. O Sri Lanka é um país predominantemente budista e cerca de 80% da população é da etnia cingalesa. O país tem uma longa e violenta história devido a razões religiosas e étnicas e passou por uma guerra civil de 1983 a 2009, onde a maioria cingalesa budista lutava contra a minoria tâmil hindu. Nos 26 anos de guerra muitas pessoas morreram de ambos os lados, até que os tâmeis foram derrotados. Com esse histórico, o nacionalismo religioso prosperou no Sri Lanka. Grupos radicais budistas surgiram em todo o país e foram usados pelo governo anterior como um meio de manter as minorias religiosas sob controle. A principal vítima é a minoria muçulmana, que sofreu grandes ataques em 2014 e março de 2018. Mas os cristãos também têm enfrentado ataques de grupos locais, frequentemente liderados por monges de mantos laranja. No período de apuração da Lista Mundial da Perseguição 2019, feita pela Portas Abertas, foram registrados 60 ataques e incidentes contra cristãos em diferentes níveis. O Sri Lanka é o 46º país na Lista Mundial da Perseguição, que classifica os 50 países mais perseguidos no mundo.

Fontes: Sites Portas Abertas e G1

Produção e apresentação:Daniel Beltrão
Coordenação:Kaká Rodrigues
Supervisão: André Castilho
Realização:Rádio Trans Mundial