“Entrevista”, da Rádio Trans Mundial, mostra projeto que leva Cristo à comunidade de SP por meio de aulas de música, esportes e trabalhos sociais

share on:

  Você sabe o que é um beco? Foi em um deles que nasceu o projeto Um Novo Amanhecer (UNA), que atende a 130 pessoas, com idades entre 7 e 19 anos, em atividades educacionais, sociais e esportivas. O trabalho, realizado desde 2013 no bairro Cidade Júlia, na divisa de São Paulo com Diadema, ajuda a tirar crianças, adolescentes e jovens de perto da violência e da criminalidade e fala sobre as novas chances de vida com Cristo. A iniciativa é destaque do programa “Entrevista”, que a Rádio Trans Mundial vai veicular nos dias 12 e 15 de março.

         Durante o programa, apresentado por Gabriella Gouvêa, que vai ao ar na quinta-feira, às 9h30, e no domingo, às 6 da manhã, o fundador do projeto Josué Romano, de 36 anos, falou sobre o surgimento da ideia e os frutos que o trabalho teve. “O projeto começou na Páscoa de 2013 com um evento que fizemos no meio da favela do Cidade Júlia em que um traficante havia matado um policial. Houve um revide da polícia, que chegou e quebrou todo o local. Nós decidimos trabalhar para transformar aquele palco de guerra em um palco de paz. Foram três dias de eventos com cerca de 200 crianças participando”, comentou.

         Romano sabe da realidade difícil que muitas pessoas enfrentam nas regiões mais periféricas de uma cidade como São Paulo. Quando teve a experiência com Jesus, decidiu que precisava fazer a diferença para não ver se repetir a cena, infelizmente, tão comum de jovens vítimas da violência. Os becos são o maior campo missionário do projeto.

         No início, a iniciativa não tinha lugar próprio. Um missionário deu a ideia de fazer as primeiras reuniões debaixo de uma árvore. Logo depois, eles conseguiram uma cozinha, de 3 x 3, onde davam aulas a 23 crianças da comunidade. “Do mesmo lugar que eu fui tirado, eu comecei a trabalhar para que as crianças não chegassem à situação que eu cheguei. Fiquei na mente com a mensagem de um missionário que me disse que se não houvesse um lugar, eu deveria fazer debaixo de uma árvore. Eu fiquei a pensar nisso. Um dia, sentado de frente para a comunidade, vi uma cena que me chamou muita atenção ali. Foi como se Deus me dissesse: até quando você vai ver isso acontecer e não vai fazer nada? Conversei com a minha esposa e começamos na mesma cozinha que ela viu, na infância, alguns familiares fabricando droga, nós começamos um projeto para tentar alcançar vidas”, disse.

         Recreação, artesanato e aulas de inglês foram as primeiras atividades desenvolvidas no projeto. Na sequência, veio o trabalho com o futebol. Desde então, as coisas não pararam de acontecer. O projeto mudou para um espaço mais adequado para atender mais pessoas e hoje oferece karatê, inglês, rock, artesanato, música, jogos nos finais de semana, encontros de oração com os meninos do projeto e a entrega de refeições a pessoas em situação de rua (uma vez por mês), entre outras atividades, sempre com o objetivo de poder falar sobre Jesus às pessoas.

         Gabriel dos Santos Silva, 19, é fruto do trabalho. O primeiro contato dele com a UNA aconteceu em 2017. Ele deu o testemunho de como foi a conversão para o “Entrevista”.

     Para saber mais sobre as outras iniciativas da missão Um Novo Amanhecer, a página oficial do grupo no Facebook https://www.facebook.com/projetounaoficial/.