Moda

share on:

11/09/2017 – FIQUE POR DENTRO

A moda surgiu em meados do século 15 no início do renascimento europeu. A palavra moda significa costume e provém do latim modus.

A partir da Idade Média, as roupas eram diferentes seguindo um padrão que aumentava segundo a classe social, houve até leis que restringiam tecidos e cores somente aos nobres. A burguesia que não era nobre, mas era rica, passou a imitar o estilo nobre das roupas iniciando um processo de grande trabalho aos costureiros que a partir de então, eram obrigados a produzirem diferentes estilos para diferenciar os nobres dos burgueses.

Com a revolução industrial no século 18, o custo dos tecidos diminuiu bastante, em 1850 com a invenção das máquinas de costura o custo dos tecidos caiu ainda mais. A partir de então, até os mais humildes puderam comprar roupas melhores.

Mesmo após a facilidade das confecções, as mulheres ainda eram privadas da modernidade continuando a usar roupas sob medida. A partir desta dificuldade, surgiu a alta costura que produzia diferentes estilos por meio de estilistas que inventavam tendências.

Fonte: O surgimento da moda


Entrevista com a blogueira do customizado, Mariely Del Rey. Ela fala sobre restauração de roupas. Confira:

 

Vagas pelo SISU e sistema de cotas devem aproximar Unicamp das metas de inclusão

Os novos formatos avaliados pela Unicamp para o acesso aos cursos de graduação, em 2019, devem aproximar a universidade das metas de inclusão, segundo a comissão responsável por organizar o processo seletivo. Entre elas estão o ingresso de 50% dos alunos oriundos da rede pública, por curso e turno alcançar de 37,5 por cento de autodeclarados negros, pardos e indígenas, segundo parâmetro do IBGE.

De acordo com a Unicamp, 10% das vagas do Sisu devem ser destinadas aos estudantes oriundos de escolas públicas; 5% aos candidatos negros e pardos procedentes de unidades da rede; enquanto outros 5% serão reservados exclusivamente para os estudantes negros e pardos.

Com isso, 65% das 3,3 mil vagas distribuídas entre 60 cursos de graduação passariam a ser preenchidas por ampla concorrência.

Coração enganoso

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jr 17.9).

É comum as pessoas dizerem: “Ouça o seu coração ou Siga o seu coração ou Aja conforme o seu coração.” São frases que na primeira impressão trazem um conselho e mostram um caminho que, uma vez posto em prática não trará erro ou decepção. No entanto, Deus mostra exatamente o contrário, e no conselho de Deus somos surpreendidos com a sua sabedoria e amor.

Se o nosso coração é enganoso, como vamos ouvi-lo? Se o nosso coração é desesperadamente corrupto, como vamos segui-lo? Deus pede o nosso coração para transformá-lo.

Ele quer nos dar um coração igual ao dele. Isso é maravilhoso. Há uma chance de transformação e de verdadeira mudança. Só desta forma poderemos tomar decisões que serão acertadas. Deus nos dá neste coração novo, sua palavra. Ela será gravada para todo o sempre em nós, e quando consultado só ouviremos a sua palavra e não mais a nossa.

Isso é motivo de festa, é promessa que se cumpre e muitos já experimentaram. Deus tem absoluta capacidade de esquadrinhar corações e de fazê-los puros.

Como está sua vida? Você tem errado em suas decisões? Você ainda não tem o coração transformado? Há uma mesmice em seus dias? A rotina tem sido vazia e sem sentido? Você se acha longe de Deus e desanimado? Chegou o momento da mudança, chegou o momento da transformação, faça como o salmista Davi e peça a Deus: “Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro em mim um espírito inabalável.”

É preciso remover pecados e iniquidades de nossos corações para que Deus o preencha de verdades, virtudes e palavras de vida. Ele remove o mal e nos dá o bem. Ele diminui o nosso espírito e nos presenteia com o Espírito Santo.

O que faz pessoas passarem dias e noites acampadas na frente de um estádio esperando por um show?  E por que os bancos das igrejas estão vazios? São pessoas ouvindo o seu coração ainda não transformado.

“Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.”

Pr. Paulo Cirelli