Lesões esportivas

share on:

13/02/2018 – FIQUE POR DENTRO

Quem pratica esporte está sujeito a lesões. Segundo o ortopedista Alexandre Santacruz, a atividade física previne uma série de doenças, mas sua prática incorreta pode levar a dores e distensões musculares se não houver o cuidado com o aquecimento e o alongamento adequados.

As lesões decorrentes de esportes de contato, onde as disputas envolvem contato físico entre os jogadores, como futebol, basquete e handebol, são diferentes das ocasionadas por outras modalidades praticadas individualmente, já que o contato físico aumenta o risco de contusão. As mais comuns são as entorses, também chamadas de torções, contusões, distensões, estiramentos e contraturas musculares.


Entrevista com o ortopedista, Caio de Souza. Ele fala sobre o risco de lesões provocadas para os ciclistas. Confira:

 


Saiba que o seu smartphone te rastreia até com GPS desligado

Pesquisadores da Universidade de Princeton estão divulgando um estudo que mostra o seguinte: mesmo com o GPS, WIFI e serviços de localização desativados, o seu smartphone ainda consegue te rastrear. Isso acontece porque uma falha de segurança utiliza informações internas e até externas do seu aparelho para descobrir por onde ele se encontra.

Por meio de um aplicativo chamado PinMe, os pesquisadores rastrearam um dispositivo usando o fuso horário e informações de sensores diversos de um smartphone. Ao combinar com informações públicas de serviços como o Google Maps, é possível estimar a localização do gadget.

Em comunicado para a imprensa, os pesquisadores ainda comentaram que este tipo de método é “virtualmente indetectável” pela vítima. Isso significa que, independente dos esforços que um usuário faça para não ser rastreado, um atacante pode descobrir rotas de localização da vítima.


Holocausto

Durante o Regime Nazista na Alemanha, de 1933 a 1945, havia uma lei que separava os “arianos” dos judeus foi criada, chamada Leis de Nuremberg, que determinavam institucionalmente essa segregação racial. O regime perseguiu, torturou, expulsou do território alemão e matou judeus, além de muitas outras pessoas, como homossexuais, ciganos e pessoas com deficiência.

Essa perseguição se tornou um extermínio organizado pelo regime nazista na Alemanha, que veio as e chamar Holocausto. O assassinato de milhões de judeus num verdadeiro genocídio. Na época do nazismo, foram criados campos de concentração para colocar quem se opunha ao regime e para lá foram muitos judeus, mortos então pela polícia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, milhares de judeus foram deportados do país para guetos e campos de extermínio; lá, eram levados a câmaras de gás, em que morriam por asfixia. Em 1945, 2 em cada 3 judeus europeus tinham sido mortos, em torno de 6 milhões de pessoas.


A vida, o problema e a solução

O Senhor da História tem duas notícias para nós.

A primeira notícia, isoladamente é um problema. Pode causar preocupação e pânico. É a informação de que todos nós somos pecadores e seremos julgados pelo justo Juiz.

A segunda notícia (a solução) é de paz, e anuncia que o justo Juiz perdoou os nossos pecados.

Diante do problema, eu posso dizer: “Miserável homem que eu sou, quem me libertará do corpo sujeito a esta morte?” (Romanos 7.24).
Diante da solução, eu posso dizer: “Agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8.1).

O Senhor da História, acima de tudo é perdoador. Ele perdoou os nossos pecados pela doação de sua vida. O justo Juiz participou da história do homem como pagador de contas. Ele pagou o preço, por isso Ele é o Cristo. Único, singular, insubstituível. O problema, que era nosso, deixou de existir e confirma a alegria do Evangelho.

Jesus de Nazaré disse: “A minha vida, ninguém pode tirar, mas eu espontaneamente a dou. A recomendação do Salvador é: “De graça recebestes e de graça daí”! Assim, como de graça recebi, de graça apresento as boas novas do Evangelho aos meus amigos.

Como disse o Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer: “O Evangelho enche de alegria o coração dos que o acolhem; e eles o transmitem não como um dever pesado, mas como alguém muito feliz por ter coisas boas a comunicar”.

Deixe-se envolver pela mensagem da Cruz. Com a alegria de quem recebeu as boas novas do Evangelho! Não sofra com o problema. A morte passou e a vida ganhou força na ressurreição. Seja grato pela boa notícia do Evangelho, a solução de Deus. É tempo de regozijar-se e agradecer a Deus diante da solução construída pelo Senhor da História, na Cruz do Calvário. Jesus de Nazaré deu a vida por seus amigos, pecadores como eu e você.

Por Amilton Alvares