share on:

Img_IconeBaixar_680px

 

02 de novembro de 2016

Leitura Bíblica: 2 Crônicas 21.4-7;12-20

A memória deixada pelos justos será uma bênção (Pv 10.7a).

No Dia de Finados lembramo-nos dos familiares, amigos e conhecidos que já não estão mais conosco. Alguns deles deixaram um bom legado, enquanto outros são lembrados pelas coisas más que fizeram ou então por algumas particularidades.

No capítulo que lemos hoje está registrada a biografia de um rei cujo nome era Jeorão. Ele desagradou ao Senhor com suas decisões e atitudes, teve uma doença incurável e morreu com apenas quarenta anos de idade. Agora, o que nos impressiona é o desfecho de sua biografia: “Jeorão tinha trinta e dois anos de idade quando começou a reinar, e reinou oito anos em Jerusalém. Morreu sem que ninguém o lamentasse, e foi sepultado na Cidade de Davi, mas não nos túmulos dos reis” (v 20). Ou então, conforme outra versão bíblica: “…se foi sem deixar de si saudades” (ARA). Você já imaginou o que significa morrer sem deixar saudades ou ninguém lamentar a sua morte? Isto é uma lástima!

Diante disso, convém refletir sobre o tipo de memória que vamos deixar para os outros quando partirmos deste mundo. A verdade é que podemos deixar uma viva e boa lembrança nas mentes daqueles que convivem conosco. Para isso, nossa vida deve glorificar a Deus, espalhando belas e boas influências por meio de palavras, gestos e ações. Com a morte deixamos de existir neste mundo, mas nosso exemplo e nossa influência podem permanecer por muito tempo. Foi o que aconteceu com Abel, pois veja o que diz a Bíblia: “Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim. Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas. Embora esteja morto, por meio da fé ainda fala” (Hb 11.4).

Portanto, viva você também de tal modo que agrade a Deus. Faça o melhor que puder para os seus familiares e aqueles que estão ao seu redor. Assim, sua memória será um presente para as futuras gerações. – MM

Quem vive com Deus deixa saudades.