share on:

Ao longo dos anos a tecnologia vem mudando a nossa vida. Ela nos ajuda a otimizar o tempo, facilita nosso trabalho, tem função importantíssima nos diagnósticos médicos, diminui a distância entre pessoas queridas por meio do uso de aplicativos, facilita os negócios com as possibilidades de reuniões com pessoas em diversas partes do mundo e assim por diante. Naturalmente que com toda essa mudança, nosso comportamento mudou também.

Um dos aspectos mais fantásticos da tecnologia é otimizar e diminuir o tempo de espera no nosso dia a dia. Acredito que todos nós apreciamos e nos beneficiamos desse aspecto. Entretanto, existe um questionamento de uma faceta menos benéfica nisso tudo. Alguns acreditam que a tecnologia nos deixou mal-acostumados com tempo de espera. Consigamos resolver tudo mais rapidamente com seu uso e sem que percebamos esperamos que tudo na vida aconteça assim. E temos dificuldades de lidar com a espera. Sabemos que a tecnologia não é a única que influencia na impaciência atual. Na verdade, há diversos fatores que cooperam para isso. O relevante nessa reflexão não é tanto o que nos leva a ser impacientes, mas o fato de que nem tudo pode ser acelerado. Ainda existem muitas coisas que precisam de tempo.

Quem vive num país com muita burocracia sabe que não é possível acelerar alguns processos, uma gestação não pode e nem deve ser apressada, alguns problemas de saúde precisam de cuidados e tempo e assim a vida segue com momentos em que tudo o que nos resta fazer é esperar!

O tempo de espera pode ser uma tortura, um caminho difícil de ser percorrido, mas o que ele produz em nós é precioso demais. Penso em tudo o que está sendo construído em nós nesse tempo. Romanos 5.3-5 diz assim: “Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.” O caminho pode ser duro, mas o resultado maravilhoso. Além disso, todas essas experiências nos permitem nos apropriar da graça de Deus que nos sustém e a saber que “Nenhum dos que esperam em ti ficará decepcionado” (Salmo 25.3 a). Será que você está vivendo um tempo em que tudo o que pode fazer é esperar? Se esse for o caso, não se cobre, não tente apressar as coisas, mas espere no Senhor: “Mas, quanto a mim, ficarei atento ao Senhor, esperando em Deus, o meu Salvador, pois o meu Deus me ouvirá. (Miqueias 7.7)

No amor do Senhor,

Susie Pek – Coordenadora do Mulheres de Esperança RTM Brasil & América Latina