share on:

Se você que têm amigos e familiares que moram longe de você, sabe como é desafiador tentar diminuir a distância, especialmente quando crianças estão envolvidas. Nessas horas a tecnologia vira nossa melhor amiga. Como é maravilhoso poder conversar com quem amamos em tempo real e simplesmente dividir a vida.

Não precisamos esperar ter um tempo livre necessariamente. Fazemos uma vídeo chamada enquanto cozinhamos e desenvolvemos nossas tarefas. Mas, também,  marcamos cafés ‘online’ e dá até para brincar de stop em sites específicos. E as crianças não ficam fora dessa inovação! Recentemente conversava com uma amiga querida e ela me contou que brinca de esconde-esconde com a sobrinha que está a milhares de quilômetros de distância. Fiquei encantada com essa versão da brincadeira!

Aliás, você já reparou que mesmo depois de adulto a gente continua se escondendo? Só que já não é mais uma brincadeira. Escondemos nossos medos para que ninguém perceba nossa fragilidade, escondemos nossas feridas para que ninguém nos machuque ainda mais, escondemos nossos erros para não sermos julgadas, e, muitas vezes, escondemos quem somos para não sermos rejeitadas. Começamos nos escondendo de algumas pessoas e quando nos damos conta, nos escondemos de nós mesmas, e, acima de tudo, nos escondemos de Deus. Temos medo que Ele também nos rejeite.  A história é a mesma, desde que mundo é mundo. Adão e Eva foram os primeiros a se esconder de Deus. Mas, Deus os procurou e restaurou o que foi quebrado. E, desde então, o Senhor vem procurando todos os que se escondem por amor a cada um. Ele vê nossa fragilidade e  oferece sua força, ele vê nossas feridas e oferece cura, ele vê nossos erros e oferece perdão, ele nos formou e conhece cada um de nossos pensamentos e caminhos e pode nos conduzir numa vereda de vida e restauração.  O Salmos 103 diz assim: “Bendiga o Senhor a minha alma! É ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças, que resgata a sua vida da sepultura e o coroa de bondade e compaixão, que enche de bens a sua existência, de modo que a sua juventude se renova como a águia. O Senhor é compassivo e misericordioso, mui paciente e cheio de amor. Não acusa sem cessar nem fica ressentido para sempre; não nos trata conforme os nossos pecados nem nos retribui conforme as nossas iniquidades. Como um pai tem compaixão de seus filhos, assim o Senhor tem compaixão dos que o temem, pois ele sabe do que somos formados; lembra-se de que somos pó.” Incrível, não? Não precisamos nos esconder de Deus e nem temer a rejeição, porque nada poderá nos separar de seu amor que está em Jesus Cristo, nosso Senhor!

No amor do Senhor,

Susie Pek – Coordenadora do Mulheres de Esperança RTM Brasil, América Latina & Caribe