share on:

Você é ansioso? Imagino que muitos vão dizer que sim, já que a ansiedade é considerada o mal, ou um dos grandes males, do século 21. Ela é uma espécie de estado permanente de expectativa, mas também de alerta, preocupação, medo e tensão. Muitas vezes, ela chega de mansinho e aos poucos vai ganhando espaço em nossos pensamentos e coração. É muito comum experimentarmos esse sentimento quando enfrentamos o desconhecido. Permitimos que nossa mente crie vários cenários de tudo o que pode acontecer.  Normalmente, nossa imaginação começa com as cenas mais positivas possíveis, mas aos poucos, começamos a imaginar tudo o que pode dar errado e vamos nos angustiando e ficando temerosos.

Esse ano nos apresentou inúmeras possibilidades para que a porta da ansiedade se abrisse em nosso coração. Lidamos com muitos desconhecidos, sendo a COVID-19 uma das protagonistas dessa história. Por atuar de forma diferente em cada organismo, ninguém sabe quais sintomas vai apresentar se for diagnosticado com a doença. Alguns se angustiam com a simples possibilidade de testar positivo para esse vírus. Aliás, doenças de forma geral são grandes desconhecidos capazes de gerar muita insegurança. E o que dizer do futuro? Ele nos prega muitas peças e nos lembra de que não temos controle de nada e de que precisamos viver um dia por vez, sem sermos aprisionados pela ansiedade, pois como diria Charles Spurgeon: “A ansiedade não esvazia o sofrimento do amanhã,  apenas esvazia a força que temos hoje”

Jesus sabe que o ser humano é propenso a se preocupar e ficar ansioso e numa conversa com seus discípulos, ele afirmou que ninguém, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida. Ele afirmou também que o Pai celestial sabe de tudo o que precisamos e disse: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal“. (Mateus 6.33-34) Nosso Deus conhece as inquietações dos nossos corações e nos convida a não andarmos ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentarmos nossos pedidos a Deus, assim a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os nossos corações e as nossas mentes em Cristo Jesus. (Filipenses 4.6-7)  Que o Senhor nos capacite a viver um dia por vez na total dependência dele!

No amor do Senhor,

Susie Pek – Coordenadora do Mulheres de Esperança RTM Brasil, América Latina & Caribe