share on:

O coração é sempre capaz de acolher mais um sem precisar ‘desabrigar’ ninguém. Cabe todo mundo hoje e ainda tem lugar para mais alguns amanhã. Quanto mais a gente acolhe, mais aumenta a capacidade de abrigar. Amar é um privilégio. Ter quem acolher é um presente.

Gosto de pensar que os abrigos em nossos corações têm suas características próprias, porque cada pessoa e relacionamento são únicos. Sendo assim, umas casas são grandes e básicas, outros são pequenas, mas pomposas. As diferenças são enormes, entretanto todos os moradores recém-chegados compartilham da organização e beleza típicas de um novo lar. E que gostoso que é desfrutar de uma casinha nova, organizada, arrumada e perfumada.

Essa analogia me faz pensar que assim como as nossas casas dão trabalho para que continuem sempre em ordem, nossos abrigos acolhedores também precisam de atenção e muita dedicação. É bom ter muitos abrigos e melhor ainda ter casinhas lindas, alegres e cheias de vida. E para que nossos relacionamentos mantenham essa beleza, precisamos cuidar de cada um deles com atenção, afinal de contas amar é um verbo que requer passos práticos.

A palavra de Deus nos dá excelentes dicas de organização para que nossos abrigos se mantenham impecáveis. Nos momentos em que somos abordadas por alguém com sangue fervendo e a língua afiada, podemos lembrar de provérbios 15. 1 que nos diz: “A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira.” Vale contar até 10 e responder com tranquilidade. Sem dúvida, evitaremos conflitos que tiram a beleza do ambiente. E para que tudo se mantenha em ordem, o diálogo aberto se faz necessário. Nada como ouvir antes de falar. Provérbios 18.13 diz que ‘quem responde antes de ouvir, comete insensatez e passa vergonha.’ Quanta bagunça evitamos quando deixamos a pessoa concluir seus pensamentos. Amar é ser vulnerável e escutar sem estar na defensiva é uma forma de fragilidade.

A última dica de limpeza e organização de hoje é provavelmente a mais difícil e a mais essencial. Se queremos que nossos abrigados fiquem em nossos corações por muitos anos, precisamos usar e abusar do perdão. Amar é um privilégio. Amar implica em doação. Em Efésios 4.32 temos uma recomendação maravilhosa: “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo.” Amar é estender atos de bondade, compaixão e perdão. Se conseguirmos implementar essa rotina de organização em nossas vidas, nossos abrigados terão acolhimento seguro e duradouro e nós seremos excelentes moradoras para aqueles que nos abrigam!

No amor acolhedor do Senhor,

Susie Pek