share on:

Img_IconeBaixar_680px

 

13 de outubro de 2017

Leitura Bíblica: 1 Coríntios 8.5-6

Das alturas estendeu a mão e me segurou; tirou-me de águas profundas (2Sm 22.17).

Livros de autoajuda são muito populares. Sempre há alguns nas listas dos mais vendidos. Mas para resolver nossos problemas pessoais será que basta seguir um guia rápido com orientações gerais? Muitos desses livros vendem ilusões, oferecendo o que nem sempre se pode atingir, como saúde, riqueza e sucesso. Fato é que para ser feliz não basta acreditar em si mesmo e realizar o que se deseja. É correto buscar desenvolvimento e mudança pessoal, mas a autoajuda deve estar sempre relacionada com a ajuda do alto, ou seja, de Deus.

Esperar ajuda do alto não é ficar parado até Deus providenciar tudo de que precisamos. É saber que Deus nos dá força e sabedoria para uma vida melhor. A diferença de ter ajuda do alto e não apenas autoajuda está em saber que posso tudo, mas não por minhas forças. Tudo posso (autoajuda) em Deus que me fortalece (ajuda do alto) (Fp 4.13).

Enquanto a autoajuda nos encoraja a focar o desenvolvimento pessoal, a ajuda do alto lembra que sozinhos não somos nada. Para resolver nossos problemas precisamos da ajuda de Deus e das pessoas ao nosso redor. O caminho da autoajuda pode ser perigoso. É colocar o eu no centro das atenções, ocupando o lugar de Deus. Já a ajuda do alto é o contrário: é colocar Deus no centro de tudo. Enquanto a autoajuda diz que tudo o que precisamos para mudar está em nós mesmos, Cristo diz: “Sem mim vocês não podem fazer coisa alguma” (Jo 15.5). A autoajuda ensina a se autoafirmar; a ajuda do alto, a se negar. A autoajuda diz que você mesmo é seu socorro, a ajuda do alto diz que o socorro vem do Senhor.
É preciso crer que existe um único Deus de quem tudo provém. De Deus emana toda a força que move a nossa vida. Ele sustenta nossas ações e alimenta corpo e alma. Você pode ler livros de autoajuda, mas leia principalmente a Bíblia. Ela é o manual da ajuda do alto. – HSG

Autoajuda, só com ajuda do alto.