Agricultura

share on:

20/03/2017

 A agricultura nada mais é do que o segmento que se responsabiliza pelo cultivo e pela produção de alimentos em âmbito global, onde também se enquadra a criação de gado e o cultivo de plantas. O próprio termo ‘agricultura’ deriva do latim e tem como significado a arte de “cultivar os campos”.

A atividade é desenvolvida “desde o início dos tempos”. Ela tem como principal função a produção de legumes, verduras, cereais, frutas e outros para alimentar a população mundial.

A mecanização das atividades agrícolas é cada vez mais comum. Esse fenômeno é responsável pelo aumento na produção. No entanto, muitos trabalhadores rurais estão sendo substituídos por essas máquinas, fato que tem provocado desemprego no campo e intensificado o êxodo rural.

 

Enrevista com o pesquisador em sociologia da Embrapa, Zander Navarro. Ele fala sobre a agricultura brasileira

 

 

Dados sigilosos de 3,8 milhões de alunos de São Paulo vazam na internet

Dados sigilosos de 3,8 milhões de estudantes da rede estadual de São Paulo ficaram vulneráveis na internet após o vazamento nas redes sociais de uma planilha com senhas de acesso a uma plataforma da Secretaria Estadual de Educação.

Notas dos estudantes em avaliações oficiais, com descrições dos acertos e erros, seus nomes completos, escola em que estudam e até o número de faltas individuais ficaram acessíveis a qualquer pessoa na rede. As informações são de acesso exclusivo das escolas e nem sequer os estudantes poderiam entrar neste sistema.

A Secretaria Estadual de Educação tirou o site do ar, registrou um boletim de ocorrência e informou que abrirá uma sindicância para apurar como estas informações foram parar na internet. A pasta ressaltou que não houve prejuízo pedagógico com o vazamento.

 

Vivendo de Acordo Com Nossos Valores

Tudo que fazemos é influenciado pelos nossos valores. Mesmo que nunca tenha feito uma lista das coisas que são importantes para você, suas ações são fortemente determinadas pelos valores que lhe são caros e importantes. Toda vez que você toma uma decisão, está confiando em seus valores para lhe dizer o que fazer.

Infelizmente alguns dos valores através dos quais operamos podem ser contraproducentes e impedir nosso sucesso e senso de satisfação e de realização. Muitos desses valores estão em nosso subconsciente; nós não os escolhemos. Eles nos foram impostos por pais, amigos, colegas e pela cultura à nossa volta. Estudos têm demonstrado que a programação da televisão e do conteúdo da Internet se tornaram os principais formadores de valores em nossa sociedade. Como resultado, se não formos cuidadosos, podemos nos descobrir agindo de acordo com informações e valores incorretos que não se sustentam sob pressão.

Assim como as velas determinam a direção de um barco, nossos valores orientam e até mesmo ditam o curso de nossa vida. Se isto é verdade, devemos, de modo intencional e frequente, fazer perguntas como: “Em que direção meus valores estão me conduzindo? Eles produzirão o que espero ou me desapontarão?”

Outro fato sobre valores é que eles podem produzir muito estresse. Ocorre quando aquilo que declaramos crer e o que de fato cremos não estão alinhados. Por exemplo: quando dizemos: “Minha família é importante para mim”, mas estamos sempre ocupados ou cansados demais para desfrutar de sua companhia. Dizemos: “Dou valor à minha saúde”, mas trabalhamos em excesso, comemos demais e de forma errada, e raramente nos exercitamos. Dizemos: “Não sou materialista”, mas ficamos tão endividados, que nos preocupamos o tempo todo com dinheiro.

Como podemos resolver esse conflito de valores? Identificando o que realmente é importante. Lembre-se: sucesso é o que sinto quando vivo de acordo com meus valores. Não é um objetivo. Você pode ser bem-sucedido em qualquer área da vida, tendo por base seus próprios valores e metas pessoais. Comece por uma lista das coisas que mais valoriza. Pergunte a si mesmo: O que é mais importante? O que vai ser duradouro? “…Devemos escolher seguir o que é direito, mas primeiro devemos definir o que é bom”(Jó 34.3-4).

Texto de Rick Warren (Adaptado)